Ir para o conteúdo

Prefeitura de Divinópolis e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Divinópolis
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
OUT
22
22 OUT 2021
EDUCAÇÃO
Compir levará palestra sobre educação antirracista a alunos estaduais
A Prefeitura de Divinópolis, juntamente com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), participará de encontro organizado pelo Movimento Unificado Negro de Divinópolis (Mundi) sobre o tema “Educação das relações étnico-raciais” hoje (22/10), às 18h, pela plataforma Google Meet.
 
O evento estará dedicado ao Dia da Consciência Negra, que se celebra em 20 de novembro e dirigido a educadores da Escola Estadual Antonieta Canela, como parte da 22ª Superintendência Regional de Ensino (SRE-Montes Claros), e gestores municipais.
 
A ativista e militante de educação étnico-racial Maria Catarina Vale, conselheira pelo segmento Mundi, falará sobre vocabulário racista, literatura negra, sete atos que decretaram a marginalização do negro no Brasil e, sobretudo, como realizar trabalho pedagógico em qualquer conteúdo de maneira integrada para combater o racismo estrutural.
 
A conselheira e coordenadora do Departamento de Educação do Mundi desenvolve práticas cotidianas sobre o tema, incluída a atuação para integrar a educação contra o racismo na educação básica. O trabalho é parte da programação educacional da organização.
 
Luta educacional
 
A Lei nº 10.639 busca discutir como os negros eram tratados no âmbito da educação formal no Brasil: há 521 anos, o território foi ocupado por colonizadores europeus ‒ previu-se muito trabalho pesado para atingir o objetivo de enriquecer a Europa. “O termo escravidão não rima com solidariedade ou inclusão” disse Vale, referindo-se à intensificação da escravidão entre os negros no país como política econômica, solução encontrada pelos invasores. “As consequências da política foram a perda de identidade do povo e a contaminação negativa das relações raciais, religiosas e sociais em todo o Brasil, e até hoje colhemos os malefícios.”
 
Em 2003, a lei foi aprovada e modificou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que obriga a incluir o tema “História e cultura afro-brasileira e africana” no currículo oficial da rede de ensino e acrescenta “Art. 79-B. O calendário escolar incluirá o dia 20 de novembro como ‘Dia Nacional da Consciência Negra’.”
 
A assinatura produziu-se graças aos anos de luta dos movimentos sociais, especialmente o Movimento Negro, e representa a conquista dos atores sociais. O primeiro parágrafo do texto da lei menciona que o conteúdo programático incluirá a luta dos negros no Brasil, a cultura negra e a formação da sociedade nacional “resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinente à História do Brasil”.
Seta
Versão do Sistema: 3.1.7 - 02/12/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia