Ir para o conteúdo

Prefeitura de Divinópolis e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Divinópolis
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
09
09 DEZ 2021
PPI Favela é tema de reunião no Centro Administrativo
enviar para um amigo
receba notícias
A Prefeitura de Divinópolis, através de representantes da Secretaria Municipal de Governo (Segov) e da Secretaria Municipal de Fiscalização de Obras Públicas e Planejamento (Semfop), se reuniu na tarde de ontem (8/12), com moradores da região do Alto São Vicente que estão aguardando o Projeto Prioritário de Investimento (PPI) Intervenções em Favelas/Apartamentos. A intenção da reunião foi atualizar os moradores com atual situação do projeto.

Cerca de 24 famílias, que moravam em áreas de risco em Divinópolis, como o bairro Alto São Vicente, tiveram que sair dos imóveis em 2010 devido ao risco de desabamento das casas, que foi constatado pela Defesa Civil. Essas famílias aguardam há 11 anos pela casa própria.

Segundo a vice-prefeita e secretária de Governo, Janete Aparecida, desde o início dessa gestão, esta pauta é prioridade para a Administração. “Quando entramos na Prefeitura, no início deste ano e nos inteiramos sobre o assunto, descobrimos a inexistência de um projeto estrutural dos apartamentos, o que existia era apenas um croqui arquitetônico, que não seria o suficiente para começar a construção. Mas, que o recurso de R$ 1,5 milhão articulado, na época pelos deputados Jaime Martins, Domingos Sávio e Newton Júnior, junto ao Ministério e a Caixa Econômica Federal (CEF) está no caixa do município”, lembrou.

Ainda, de acordo Janete, o projeto dos apartamentos já foi finalizado e enviado para aprovação da Caixa Econômica Federal, que solicitou alguns ajustes. “Esses ajustes já estão sendo realizados para o reenvio do projeto, ainda este mês à Caixa. Colocamos essa demanda como uma das prioridades da Secretária Municipal de Obras Públicas, que conseguiu nos entregar o projeto estrutural e que já está em fase de aprovação na Caixa”, destacou.

Durante a reunião foi apresentado o projeto para os moradores presentes, com o layout do apartamento bem como a estrutura no contorno dos prédios que contará com uma área de recreação.

Os imóveis serão construídos em uma área com mais de 2,2 mil metros quadrados, divididos em dois blocos com 12 apartamentos, no espaço conhecido como “Salgadão”, no prolongamento do bairro São Sebastião. O projeto visa oferecer moradia e qualidade de vida aos moradores de áreas de risco.

Ao todo serão aproximadamente 1,5 mil metros quadrados de área construída, 250 metros quadrados de área de lazer, 640 metros quadrados de estacionamento pavimentado. E, cada apartamento, possuirá cerca de 48 metros quadrados. Os beneficiários receberão os apartamentos sem nenhum custo.

A obra total está estimada em R$ 3,8 milhões, podendo sofrer alterações até a conclusão do orçamento. Atualmente, a prefeitura arca com mais de R$15 mil/mês com despesas com o aluguel social para as famílias que foram desabrigadas depois que suas moradias foram interditadas por estarem em área de risco.

Resta lembrar que a situação foi herdada pelo atual governo, de administrações passadas. Na busca por uma alternativa legal, e que garanta o direito dos moradores, o atual Governo Municipal não tem medidos esforços para entregar os apartamentos.

Estiveram presentes na reunião o diretor de Edificações e Fiscalização de Obras Públicas, Júlio César Eustáquio, o secretário municipal de Obras Públicas, Paulo José, e o vereador Rodyson do Zé Milton.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia