Ir para o conteúdo

Prefeitura de Divinópolis e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Divinópolis
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
MAR
29
29 MAR 2021
SAÚDE
Vigilância realiza mais de 400 fiscalizações por descumprimento de decreto
enviar para um amigo
receba notícias

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por meio da Vigilância em Saúde, divulgou o balanço do plantão fiscal de finais de semana. Foram realizadas 410 fiscalizações nos dois últimos finais de semana.

No último final de semana, de 26 a 28 de março, fiscais da Vigilância Sanitária realizaram 130 inspeções com o registro de 100 infrações, sendo 94 festas e aglomerações. Na área conhecida como 49, aproximadamente 20 pessoas foram conduzidas à delegacia pela Polícia Militar. Foram registradas infrações em duas clínicas de bronzeamento, dois supermercados e dois bares. Uma clínica de bronzeamento foi interditada.

De 15 a 19 de março, os fiscais da Vigilância realizaram 280 fiscalizações, que terminaram em 20 infrações registradas e 8 interdições. Entre os estabelecimentos que foram infracionados estão lojas (4), clínicas de estética (4), lanchonetes/restaurantes (3), bares (3), salões de beleza (2) e outros como escola, academia, fábrica e construção civil. Quatro estabelecimentos de estética foram interditados, mais dois salões de beleza, uma loja e uma escola.

 

Denúncias Improcedentes

O volume de denúncias improcedentes, 66 somente no último final de semana, dificulta o trabalho da fiscalização. A grande maioria das denúncias improcedentes se referem a “perturbação do sossego” e não a aglomerações.

De acordo com a gerente de Vigilância Sanitária, Tatiane Freitas, os fiscais realizam fiscalização de denúncias que se referem às aglomerações de pessoas e/ou funcionamento irregular de estabelecimentos que descumprem os decretos restritivos relacionados à Onda Roxa. “Infelizmente muitas pessoas estão confundindo som alto com aglomeração. Uma denúncia improcedente faz com que a equipe de fiscais se desloque até um local em que não há aglomeração, e deixe de estar presente em um local que realmente está com aglomeração de pessoas”, explicou.

O art. 15, do Decreto nº 14.291/21 que mantém a Onda Roxa, diz que “qualquer cidadão que tiver conhecimento de irregularidade sanitária ou descumprimento de medidas de prevenção à COVID-19, previstas neste Decreto ou outros atos regulares, poderá denunciar por meio do Aplicativo App Divinópolis ou via Whatsapp 37 99111.0030, por mensagem”.

Mas o mesmo artigo diz ainda que “denúncias falsas serão objeto de investigação própria e, se for o caso, instauração de procedimento criminal competente”.

 

 

 

Seta
Versão do Sistema: 3.2.6 - 05/09/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia