Ir para o conteúdo

Prefeitura de Divinópolis e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Divinópolis
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
07
07 DEZ 2023
SAÚDE
Semusa divulga alerta epidemiológico sobre casos de arboviroses no estado
enviar para um amigo
receba notícias
Neste ano, Minas Gerais registrou um total de 487.945 casos prováveis de arboviroses, sendo 81,1% de dengue, 18,8% de chikungunya e menos que 0,1% de Zika
A Prefeitura de Divinópolis, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), divulga o alerta epidemiológico feito pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) Minas, que trata sobre os casos de arboviroses, doenças causadas pelos arbovírus, que incluem os vírus da dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

O alerta destaca a possibilidade de reintrodução do sorotipo do vírus da dengue, o DENV-3, no estado, fazendo com que o cenário se torne propício para o aumento da transmissão da dengue e dengue neste período sazonal e potencializa a ocorrência de surto e epidemia de maiores proporções. Especialistas alertam para o risco de uma epidemia em 2024 pelo sorotipo 3 no Brasil.  

A orientação se deve a um caso da doença, comunicado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que foi detectado em um residente de Belo Horizonte. O paciente não apresentou critérios de gravidade e as causas estão sob investigação, a fim de caracterizar o provável local de infecção.

A infecção pelo vírus da dengue pode ser assintomática e sintomática, variando desde sintomas leves até quadro graves, que podem evoluir para o óbito. O diagnóstico laboratorial das arboviroses pode ser realizado através de métodos indiretos (sorológicos) ou por métodos diretos, como a detecção do genoma viral por meio do exame de PCR.

Embora a dengue seja uma doença endêmica, ela apresenta períodos epidêmicos recorrentes nos últimos anos, o que requer medidas contínuas e coordenadas para mitigar seu impacto na saúde pública. O vírus da dengue apresenta quatro sorotipos (DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DEN-V 4) que segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) circulam pelas Américas e, em algumas regiões, simultaneamente.

O sorotipo DENV-3 circulou, significativamente, no Brasil no período de 2004 a 2008, quando foi o sorotipo predominante. Em 2019, a Funed identificou a circulação do DENV-3 em 4 casos, o que representa 0,5% das amostras positivas analisadas a época, sendo que nos últimos 4 anos circularam no estado de Minas Gerais os sorotipos DENV-1 e DENV-2.
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia